Arquivo da tag: pma

Gramatikero: Pesi/Pezi

Vizitu: http://gramatikero.blogspot.com.br/

Imagem inline 2
 
 

Pesi / Pezi


Pesi: pesar. Verbo transitivo, que significa “tomar o peso, determinar o peso de alguma coisa, pondo-a na balança.”

– Pesi pakaĵon, panon, leteron. (Pesar um pacote, pão, carta.)

– Li mane pesis tiun brokolon. (Na mão ele pesou esse brócolis.)

– La kuracisto ĉiam pesas la bebojn. (O médico sempre pesa os bebês.)

– La pesado de la atletoj okazos morgaŭ. (A pesagem dos atletas acontecerá amanhã.)

– “Ĉi tiu marmelado ŝajnas al mi bona, pesu al mi 200 gramojn”. (Essa marmelada me parece boa, pese 200 gramas para mim.)


Pezi: pesar. Verbo intransitivo, que significa “ter peso, ser pesado”.

–  Kiom pezas tiuj valizoj? Quanto pesam essas valises?)

– Malgranda pezo, sed granda prezo. (Pequeno peso, mas grande preço.)

– La libro pezas duonon da kilogramo. (O livro pesa meio quilo.)

– La ĵusnaskito pezis tri kaj duonan kilogramojn. (O recém-nascido pesou três quilos e meio.)

– Via pakaĵo havas plipezon de tri kilogramoj. (Seu pacote tem um excesso de peso de três quilos.)

– Ŝi fordonus kun plezuro la multepezan kronon! (Ela abandonaria com prazer a pesada coroa.)

– Ĉiu hajlero pezis pli ol 50 gramojn! (Cada pedra de granizo pesava mais de 50 gramas!)

Nota:

As frases com acusativo nos complementos depois de pezi, que é intransitivo e não exige objeto direto, tratam de substituições da preposição JE: “La libro pezas je duono da kilogramo” = “La libro pezas duonon da kilogramo.”

Deve-se atentar que  se utilizássemos erradamente o verbo “pesi” (verbo transitivo, que significa “pesar” no sentido de “tomar o peso de”) na frase “La libro pesas (la) duonon da kilogramo”, ela não teria o menor sentido lógico em Esperanto, pois está se dizendo que o “livro pesa o meio-quilo”, como se o livro fosse a balança.

Gramatikero: Kunmetitaj Vortoj

Vizitu: http://gramatikero.blogspot.com.br/

 
 
Imagem inline 1
 
 

KUNMETITAJ VORTOJ

Em Esperanto podem se formar palavras pela justaposição de duas palavras, ou pelo menos, suas raízes, com a terminação própria de sua função gramatical. Ex:

klasĉambro  =          klas       + ĉambr    +   o

(sala de aula)         (radical)     (radical)   (terminação)

legolibro=                leg         + libr         +   o

(livro de leitura)      (radical)     (radical)    (terminação)

bushaltejo=           bus         + halt       + ej        + o

(parada de ônibus)  (radical)    (radical)   (sufixo)     (terminação)

Notas:

1)Às vezes se utiliza o recurso de separar os radicais, que constituem uma palavra composta, por intermédio de hífen, a fim de evidenciar os elementos que contribuem para sua formação:

fer-vojo /fervojo (ferrovia)

spad-fiŝo /spadfiŝo (peixe-espada)

2) É preciso ressaltar que, ao se traduzir uma palavra composta, deve-se começar a tradução pelo radical, que está no final pois ele exprime a ideia principal, ficando o primeiro radical como uma espécie de qualificativo do segundo. Exemplo:

suker-kano / sukerkano (cana de açúcar)

kan-sukero / kansukero (açúcar de cana)

3) Quando a clareza e a eufonia (= boa pronúncia) o permitam, pode omitir-se a terminação do elemento acessório, como, p. ex.: kapdoloro (dor de cabeça), em vez de kapodoloro; kelkfoje (algumas vezes), em vez de kelkafoje; velŝipo (navio de vela), em lugar de veloŝipo. Caso contrário, não convém ou não é permitido fazê-lo, p. ex: dentodoloro (dor de dente), akvofalo (queda d’água), etc. porque dentdoloro e akvfalo seriam difíceis de pronunciar e não seriam claros ao ouvido; posteulo (descendente), indivíduo (= ulo) que vem, ou vive, depois de outrem (= poste), porque postulo significa “exigência”. Ununaskita e unuanaskita: a primeira quer dizer que é um só (unu) nascido, unigênito; a outra exprime; que nasceu primeiro (unua), primogênito.

4) Na acentuação, as palavras são sempre paroxítonas, mas se desenvolveu no Esperanto falado o costume de dar um acento intermediário enfático nos radicais que formam a palavra combinada para que os ouvintes compreendam a origem da palavra e facilitando assim a compreensão.

Por exemplo, em Esperanto, falamos “dát-re-ve-no” e não “da-tre-vé-no”.

Gramatikero: Internaciaj Vortoj

Vizitu: http://gramatikero.blogspot.com.br/

 
Imagem inline 2

 
INTERNACIAJ VORTOJ

As chamadas palavras estrangeiras, isto é, aquelas que a maior parte das línguas colheram de uma fonte, são empregadas, em Esperanto, sem alteração, apenas recebendo a ortografia desta língua, mas nas diversas palavras provenientes de um radical é melhor usar, sem nenhuma alteração, só o vocábulo fundamental, deste formando as demais palavras consoante às regras do Esperanto. Exemplo: teatro (teatro); teatra (teatral); teatre (teatralmente). Esta é a 15ª regra do Esperanto.

Palavra internacional é aquela que  satisfaz três condições:

  1. soa ou é escrita de maneira similar em diversas línguas sem a mesma origem linguística.

  2. tem o mesmo ou aproximado significado em diversas línguas.

  3. a palavra tem a mesma origem. (etimologia)

As palavras internacionais mais divulgadas são nomes geográficos, de povos, empresas ou produtos.

Continue lendo Gramatikero: Internaciaj Vortoj

Uzo de la vivo


Kio mezuras la vivon ne estas la tempo, sed nia uzo de ĝi.

 
O que mede a vida não é o tempo, é o uso que fazemos dele.
 
Fajardo

​Kontribuo de Fabio (PMA)​
Programo Mia Amiko: http://esperanto.brazilo.org
Twitter: @MiaAmiko


Postado por Blogger no Bildoj Kaj Tekstoj em 8/03/2015 06:39:00 PM